Link para página

A Biblioteca Municipal José Baptista Martins (BMJBM), na qualidade de serviço municipal empenhado na qualidade de vida no concelho, assumiu como prioridade para 2020 a missão de apoiar as famílias na difícil missão de assegurar o desenvolvimento pleno dos seus filhos, caminho que nunca está terminado e no qual a cultura deve desempenhar um papel fundamental. Pretendendo que a arte, a ciência, a literatura, mas também o convívio, a descoberta e o ato de brincar façam parte do quotidiano de todas as famílias, foi concebido um programa, denominado Dias de Saber, incluído no Plano Integrado e Inovador de Combate ao Insucesso Escolar, que acontecerá ao longo do ano. Nele se oferecem possibilidades de desenvolvimento pessoal, dirigido a famílias, educadores, crianças e jovens.

Em janeiro e fevereiro aconteceram:

I - Oferta de livros para pequena biblioteca de sala de aula

Por ocasião da visita dos alunos do 1.º ciclo e pré-escolar à BMJBM para aí cantar as Janeiras, foi oferecido a todas as salas do pré-escolar e 1.º ciclo do Agrupamento de Escolas de Vila Velha de Ródão um conjunto de livros, com o objetivo de ser criado, em cada sala deste níveis de ensino, um espaço de leitura autónoma que estimule o gosto pela leitura e proporcione o contacto com o livro e as suas narrativas (visuais e textuais) por parte dos alunos.

Galeria I 1
Galeria I 2
Galeria I 3
Galeria I 4

 

II - Workshop de meditação e mindfulness

No dia 7 de fevereiro, realizaram-se duas sessões do workshop de meditação e mindfulness dinamizado pelo professor Paulo Borges. Pretendia-se com estas sessões dotar a população escolar, pais e educadores de recursos para melhorar a qualidade da sua vida mental e emocional e, por essa via, estimular novas formas de relacionamento de cada um consigo próprio e também de uns com os outros, em contexto escolar e familiar.

Essa pretensão foi conseguida pela forma sincera como os participantes quiseram experimentar as propostas apresentadas pelo professor Paulo Borges. A adesão foi tão elevada que motivou o desdobramento em duas sessões (uma em horário escolar e laboral e outra em horário pós-laboral), para possibilitar a participação de todos os interessados, cerca de 70 pessoas, entre os quais famílias, alunos e educadores.

Galeria II 1
Galeria II 2
Galeria II 3
Galeria II 4

 

III - Palestras "Dias de Saber" pela psicóloga, psicoterapeuta Marta Chaves e "Os Dias em que Nada se Aprende Fazem Parte do Saber" pela professora Albertina Pena


No dia 8 de fevereiro, a reflexão sobre a importância da diversidade de experiências educativas e da não hierarquização de saberes foram as temáticas abordadas nas palestras supracitadas.

Marta Chaves partiu da sua experiência como psicóloga e psicoterapeuta para abordar a questão da frustração e das suas implicações na saúde mental e o papel importante que deve ser reservado à fruição cultural no desenvolvimento pleno das pessoas.

Galeria III 1
Galeria III 2
Galeria III 3
Galeria III 4

Já a professora Albertina Pena, partindo de uma frase de Maria Gabriela Llansol ("Os dias em que nada se aprende fazem parte do saber"), explorou o universo das pedagogias facilitadoras da relação autónoma com os diversos saberes e a relevância da educação para as artes e os ofícios no currículo escolar, usando para o efeito a experiência das Escolas da Bélgica nas quais trabalhou Maria Gabriela Llansol na década de 70 e que estão publicadas em livro. Ambas as palestras, ilustradas com imagens e textos de autores reconhecidos, desencadearam pertinentes reflexões no público que enriqueceram as comunicações iniciais.