Link para página

50 Anos 50 ImagensA exposição "50 Anos, 50 Imagens" foi inaugurada no dia 30 de maio, durante o encontro que assinalou os 50 anos desde o início dos trabalhos sobre o Paleolítico na região e reuniu alguns dos principais protagonistas da chamada “Geração do Tejo”, nome atribuído aos arqueólogos e estudantes que, a partir de finais de 1971, graças às campanhas de salvamento arqueológico, garantiram a catalogação e preservação da arte rupestre do vale do Tejo, antes da sua submersão devido à construção da barragem do Fratel, e contribuíram para identificação de vários sítios arqueológicos datados do Paleolítico, que documentam a presença do homem de Neandertal na região.

As fotografias que agora se apresentam ao público na Casa de Artes e Cultura do Tejo pertencem ao espólio de Luís Raposo, membro desta “Geração do Tejo”, antigo diretor do Museu Nacional de Arqueologia e atual vice-presidente da Associação dos Arqueólogos Portugueses e presidente da Aliança Regional Europeia do Conselho Internacional dos Museus.

Nelas é possível constatar o entusiasmo e empenho com que este grupo de jovens arqueólogos abraçou a tarefa de identificação e salvaguarda deste património tão relevante para o concelho de Vila Velha de Ródão e que se revelaria uma autêntica escola de campo determinante para o sedimentar das suas vocações, já que muitos deles viriam a tornar-se nomes destacados da arqueologia portuguesa nas décadas seguintes.

Patente até 30 de setembro na Casa de Artes e Cultura do Tejo, de segunda a sexta-feira das 9h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30.

 

Catálogo da Exposição "50 Anos, 50 Imagens" (pdf)